Caros leitores e leitoras.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Mafalda ganha monumento em praça pública de Buenos Aires

Quem viveu os anos 70 e 80, com certeza se lembra das tirinhas da Mafalda. Agora, segundo nos informa a colega paraguaia Magdalena Riveros, a já quarentona Mafalda foi homenageada com a inauguração de um monumento em praça pública em Buenos Aires.

Veja abaixo, em espanhol, a notícia da Agência France Press sobre o tema

Cuarenta y cinco años después de que el dibujante Quino la imaginara, Mafalda se corporizó este domingo en forma de escultura en el barrio de San Telmo, en Buenos Aires, a metros de la casa donde fue dibujada por primera vez.

El dibujante "Quino" posa junto a la estatua de Mafalda inaugurada ayer en la capital argentina. (AFP)
Buenos Aires. Argentina. AFP.-Los visitantes de la capital argentina podrán ahora fotografiarse en un banco junto a esta niña que llegó a hacerse tan universal como sus preocupaciones por la paz y la felicidad en el mundo, a punto tal que sus historietas fueron traducidas a más de 20 idiomas.
La ocasión, incripta en las celebraciones del bicentenario del nacimiento de Argentina, sirvió para homenajear a Quino, cuyo verdadero nombre es Joaquín Salvador Lavado, quien agradeció sin que la emoción le obnubilara la capacidad de humor mordaz que lo distingue.
"Verme rodeado de todo esto me apabulla muchísimo, no se qué decir, aunque hay gente que tampoco sabe qué decir y gana las elecciones", comentó para regocijo de centenares de asistentes.
Su colega Miguel Rep, uno de los oradores, dijo de Quino que "los dibujantes argentinos no hubiéramos sido nada sin él" y asumiéndose como viejo lector de Mafalda, interrogó a su creador si el mundo en que la niña había vivido era diferente.
"Sí, era un mundo muy distinto. Pasaba el tranvía, la calle era ancha, no había anticuarios y como Alicia (su esposa) se iba temprano, Jorge, el diariero, me despertaba", respondió Quino.
Rep añadió que aquélla "era una Buenos Aires con más certidumbre; seguro que cuando en 1973 Mafalda dejó de salir, la ciudad se dinamitó; cada vez que la leo, leo una Buenos Aires feliz".
"Como Mafalda no es ella sin sus amiguitos, creo que debería haber una escultura con ellos. Mafalda es una historia de la amistad", agregó.
El también humorista gráfico Carlos Garaycochea dijo a su turno que "Mafalda nació sabiendo, porque evitó el jardín al crecer grande, y zafó del geriátrico, porque no creció".
Garaycochea aludió al amor que la sociedad mantiene por la pequeña que se rehusaba a tomar la sopa y era fanática de los Beatles. "Debería estar en los billetes ya que hay algunos personajes que están ahí y son discutidos", ironizó.
Finalmente celebró el emplazamiento de la escultura por un motivo inesperado. "Por vivir a la vuelta de tu casa, mi propiedad vale mucho más; por favor, no te mudes más", dijo, dirigiéndose al homenajeado.
El artista plástico uruguayo Hermenegildo Sábat, de larga carrera en Buenos Aires, también hizo referencia a la "ausencia" de los otros personajes de la tira. "Tengo una mala noticia: fui interceptado por fanáticos de los amiguitos de Mafalda y me recriminaron que no estén acá; espero que se haga justicia con estos rebeldes".
Sábat sostuvo luego que "Quino nos representa a todos". "Construyó una obra que lo vincula con toda la sociedad, aunque algunos lo nieguen, se niegan a ser retratados", comentó.
El momento culminante de la ceremonia fue el descubrimiento de la escultura en la esquina de Chile y Defensa, y de una placa en el frente del edificio de Chile 371, donde vivió Quino.
"Me impresiona dejarla ahí solita", dijo un inesperadamente paternal Quino, mirando la figura, obra del escultor Pablo Irrgang.
La estatua de Mafalda disparó una reflexión adicional de Rep. "Deberían desbaratar los monumentos a los próceres. La gente no se quiere sacar fotos con ellos, quiere que pongan personajes queribles. Y a Mafalda, ojalá que la preserve, porque se ha desmadrado la sociedad, ya no tiene nada que ver con la que planteó Mafalda".
Garaycochea, declarado amigo de Quino, cerró con una frase cargada de afecto. "Los dibujantes se quieren dos veces: primero porque son buenos tipos, segundo porque se admiran".

domingo, 30 de agosto de 2009

Livro "Maços na gaveta: reflexões sobre Mídia" previsto para 17/9

O lançamento do livro Maços na gaveta: reflexões sobre Mídia acontece dia 17/9, às 19h, no estande da Editora da UFF (Setor Verde, Q31/R22 ), na Bienal do Livro.

Fruto do circuito de trocas que o Seminário Temático "História e Comunicação", o livro organixado por Beatriz Kushnir reúne análises sobre as Mídias e é composto por 15 artigos. Objetiva divulgar as inúmeras reflexões que não conseguem chegar ao público leitor. Por isto esse volume recebeu esse título. A reunião destes textos representa uma fração pequena, mas não diminuta, dos olhares diversos que o assunto permite.

sábado, 29 de agosto de 2009

Crise: Na França, TF 1 registra preju de 60%

O Le Monde informa que a principal rede de tekevisão privada da França, a TF 1, enfrenta uma crise sem precedentes. A audiência estaria "virando pó", segundo o diário francês, e os resultados financeiros não param de cair em decorrência da crise no setor publicitário.
A TF 1, que pertence ao grupo econômico Bouygues, apresentou um resultado financeiro no primeiro semestre 61 % menor do que no mesmo período do ano anterior. Lucro de 49 milhões de euros, em 2009, contra 125 milhões em 2008. As receitas publicitárias cairam 23 %, ficando na casa dos 685,5 milhões de euros.

Pluralidade informativa na TV

A partir de primeiro de setembro, o presidente da república terá direito a tempo na TV e no rádio igual ao líder da maioria e à oposição.

Não, não estamos falando de Cházes, na Venezuela, ou Correa, no Equador. A previsão legal de distribuição de tempo na mídia audiovisual existe a mais de 40 anos na França. E o Conselho Superior do Audiovisual resolveu alterar a legislação para prever um espaço para o presidente da república.
O tempo definido pelo CNA não se refere à convocação de cadeias de rádio e televisão, mas sim à exposição normal destas lideranças no noticiário e nos programas de info-entretenimento. Cabe a CNS mediar se as televisões estão respeitando a pluralidade prevista em lei.

Para quem não conhece, isto é um pedaço do Jalapão



Por de traz dessas magnificas paisagens, muita coisa ainda é ignorada pela nossa imprensa. Por aqui, os caboclos falam em contrabando de minerais realizado por norte-americanos, falam de lavagem de dinheiro por políticos brasileiros, falam de tráfico de cocaina feito por italianos e colombianos, falam de baladas do survival para brasileiro nenhum botar defeito.


O campo está aberto para os jornalistas de investigação e também os de meio ambiente.

TV Globo Internacional tem 550 mil assinantes

A TV Globo Internacional, que acaba de completar 10 anos de existênci, contabiliza 550 mil assinantes em todo o mundo. Angola é o maior mercado, tem 175 mil assinantes, seguida dos EUA (100 mil), Portugal (30 mil) e Japão, com 25 mil clientes.

Hoje são quatro sinais distintos, para as Américas, Portugal, Europa/África e Ásia (Japão), devido principalmente às diferenças de fuso horário. No caso de Portugal, o canal exclusivo existe por conta das novelas da Globo, que são exibidas no país pela SIC, e portanto não poderiam ser exibidas simultaneamente no canal internacional.
A publicidade já representa 20% do faturamento do canal.

África
Um novo canal vai ser ofertado para a África, que hoje recebe o mesmo sinal da Europa. Isto porque grande parte da publicidade do canal é gerada e destinada ao público africano, sobretudo de Angola, onde o canal tem 175 mil assinantes, em uma base total de 550 mil clientes. O canal também tem um programa criado no país, o "Revista África", que passará a ser exclusivo do canal africano.

TV Digital: Argentina oficializa escolha do padrão nipo-brasileiro

Do Tela Viva News, em 28/08/09

Foi oficializada nesta sexta, 28, a adoção pela Argentina do ISDB-T como padrão de TV digital. A iniciativa foi resultado de um longo trabalho de convencimento promovido pelo governo brasileiro. A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, assinou o juntamente com o presidente Lula. Os ministros das Comunicações do Brasil, Hélio Costa, e do Planejamento da Argentina, Julio de Vido, firmaram o acordo ao lado dos dois presidentes. Também o embaixador do Japão, Hitohiro Ishida, e Hiroya Masuda, enviado especial do primeiro-ministro do Japão, assinaram o acordo.
A adesão da Argentina ao padrão se soma à decisão do Peru, ocorrida em abril. Com isso, anula a resolução de 1998, que adotava o ATSC.
"Vamos construir um modelo comum aos nossos países, promovendo uma parceria comercial e tecnológica que vai beneficiar nossos parques industriais e a nossa população, que terá acesso ao que existe de mais moderno em televisão aberta no mundo", deisse Hélio Costa.
Chile, Equador, Venezuela e Cuba também consideram a possibilidade de utilizar o ISDB-T.

CCT analisa projeto que prevê propaganda eleitoral em rádios comunitárias

Do Portal Imprensa

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) irá analisar um projeto de lei do Senado (PLS 212/09) que determina a veiculação de propaganda eleitoral em rádios comunitárias.
De autoria do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), a matéria altera o artigo 57 da Lei nº 9.504/97 - chamada de Lei das Eleições - que obriga as rádios comunitárias a destinarem parte de suas grades à propaganda eleitoral.
No relatório do projeto, o senador informa sobre restrições à veiculação de propaganda de candidato em municípios pequenos que não possuem emissoras de rádio convencionais. Segundo ele, em cidade de pequeno e médio porte em que existem emissoras de rádios comunitárias, nem sempre a propaganda eleitoral é transmitida, justamente por conta da falta de explicitação da obrigatoriedade na legislação, segundo informações da Agência Senado.
"Atualmente, é cada vez mais usual a existência de rádios comunitárias em pequenas e médias comunidades, mas nem sempre os partidos e a Justiça Eleitoral adotam providências para que a propaganda eleitoral seja veiculada por essas rádios", diz Valdir Raupp em sua justificativa.

Argentina debate nova Lei de Comunicação Audiovisual

Do M&M Online, em 28/08/2009

Chega ao congresso daquele país o projeto que prevê grandes mudanças na mídia argentina; além disso, o País decidiu utilizar o sistema japonês, o mesmo do Brasil, para sua TV Digital

A Argentina parece disposta a implementar uma nova Lei de Comunicação Audiovisual que substitua o decreto 22.285 de 1980, criado durante a última ditadura militar daquele país. Está chegando ao congresso local o texto revisado do novo projeto, que foi apresentado em março passado e passou por mudanças sugeridas em dezenas de fóruns ocorridos desde então.
Entre as principais propostas está a divisão igualitária do espectro de freqüências entre empresas comerciais, entidades públicas e Ong´s (que visa justamente dar mais espaços para as organizações não-governamentais), ficando um terço para cada setor. Hoje, o espectro é dominado pelo lado comercial. Além disso, cada grupo poderá ter no máximo 10 licenças, contra as 24 de hoje e os donos de TV´s abertas não poderão ter TV´s por assinatura no mesmo local geográfico.
Está prevista também a possibilidade de desembarque das companhias telefônicas na comunicação audiovisual, o que ocasionaria na regulamentação para o Triple Play, com áudio, vídeo e dados no mesmo sistema.O projeto já havia sido apresentado à sociedade argentina em março passado, tendo passado então por fóruns de debate, que resultaram em modificações do texto final que agora é enviado ao Congresso. Uma das mudanças se refere à revisão das concessões a cada dois anos, que passa a oferecer mais garantias às empresas visando garantir que o governo não distribua licenças de maneira direcionada.
A nova lei é visto pela presidente Cristina Kirchner como uma "vitória da democracia", pois visa acabar com o monopólio e revoga uma lei antiquada, datada do governo ditatorial do Gereral Jorge Videla. Por outro lado, deputados da oposição bradam aos veículos locais que o governo terá maior controle sobre a mídia e ampliar seu poder sobre a opinião pública.

TV Digital nipo-brasileiro

Outra novidade é que, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Cristina e o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva assinam nesta sexta-feira, 28, um acordo pelo qual o país vizinho adotará o mesmo sistema do Brasil para a TV Digital, de origem nipônica mas com adaptações locais. Os padrões europeu, defendido pela Telefônica, e norte-americano, o favorito do Clarin, acabaram derrotados.

Briga com Clarin

A partida entre os times do Godoy Cruz, de Mendoza, e o Gimnasia y Esgrima, de La Plata, disputada na última sexta-feira, 21, marcou a primeira transmissão do futebol argentino dentro do novo acordo de transmissões. A Associação de Futebol local, a AFA, rompeu o contrato que mantinha com o canal de TV a cabo T&C, do Grupo Clarin, e fechou com o governo, que transmite os jogos a partir de agora na TV pública, com sinal aberto.

Argentina: União de jornalistas apóia nova lei da radiodifusão

A União dos trabaklhadores na Imprena de Buenos Aires (UTPBA, em sua sigla em espanhol) divulgou nota apoiando o projeto de lei enviado ao congresso daquele país para a criação de uma nova lei d radiodifusõ.

Veja abaixo a íntegra da nota.

Ley de Radiodifusión: PORQUE LA HISTORIA VALE Y LAS PALABRAS TAMBIEN


Ante el envío, por parte del Poder Ejecutivo, del proyecto de Ley de Servicios de Comunicación Audiovisual al ámbito del Congreso Nacional, la UNION DE TRABAJADORES DE PRENSA DE BUENOS AIRES Y SU OBSERVATORIO DE MEDIOS sostienen y recuerdan que:

1.- La lucha del conjunto de los periodistas y comunicadores sociales por reemplazar la ley 22.285 de la dictadura y las enmiendas que, en pleno proceso democrático, favorecieron la concentración monopólica de los Medios de Comunicación, data desde la apertura democrática, en 1983 y se mantuvo presente a lo largo de todos estos años.

2.-Como sostuvimos y recordamos oportunamente a través de nuestra prensa “Ley de radiodifusión- La Historia Vale”, la Unión de Trabajadores de Prensa de Buenos Aires considera pertinente puntualizar algunos tramos del recorrido de acciones políticas masivas, publicas, del orden jurídico y social que ha construido una referencia clara en torno a uno de los temas, la radiodifusión, entre otros, que remiten al Derecho Social a la Comunicación en su forma jurídica, económica y social.

1984/86: Formuló una convocatoria amplia, participó en la elaboración y presentó ante el Congreso Nacional un proyecto de Ley de Radiodifusión para reemplazar la sancionada por la dictadura militar. Se trató del primer proyecto en la materia presentado por una organización que alcanzó estado parlamentario. La iniciativa surgió al recuperar los trabajadores de prensa sus organizaciones tras la intervención militar.

1985/87: Elevó ese proyecto al Consejo de la Consolidación de la Democracia, instancia gubernamental creada para tal fin, que permitía enriquecer la iniciativa con la participación de todos los sectores vinculados con la comunicación.

1985/89: Se hizo –y se hace- cargo y definió su postura respecto del fenómeno de las radios comunitarias y de la existencia de distintos tipos de pequeños formatos comunicacionales, resaltando su aporte al desarrollo y profundización de la democracia. Incorpora a su proyecto inicial una propuesta de regulación que los alcance y que garantice su crecimiento.

1987/89: Lanzó distintas campañas públicas en defensa del derecho social a la información y rechazó con acciones y presentaciones judiciales los intentos empresarios y políticos de decomisos, allanamientos, cierres y amenazas a los medios de bajo alcance.

1989: rechazó la decisión oficial de privatizar los medios audiovisuales en poder del Estado y advirtió que se trataba del primer paso en un proceso de concentración comunicacional inédito y reiteró la postura antimonopólica y/u oligopólica que expresaba el proyecto de ley elaborado en 1985 junto a otras organizaciones.

1989/2000: impulsó distintas iniciativas que enfrentaron la concepción instalada desde el poder político y mediático de la innecesariedad de algún tipo de regulación y/o legislación en materia de comunicación, entre ellas: La Peor Opinión es el Silencio, el Año de la Comunicación, Esa Radio No se Toca, No hay Democracia Informativa sin Democracia Económica, el Primer Congreso Mundial de la Comunicación, iniciativas protectivas del derecho social a la información ante la Convención Constituyente reunida en Santa Fé, En la Lucha de Ideas las Ideas que no se Conocen no Luchan, todo ello en el marco de innumerables luchas en defensa de los puestos y fuentes de trabajo.

2000/02: propuso incluir entre los protegidos por la ley de Bienes Culturales a todos los trabajadores de los medios de comunicación como principales productores culturales, ante el proyecto que favorecía groseramente a los grandes grupos mediáticos. La propuesta no fue tenida en cuenta.

2004: fue uno de los firmantes de “los 21 puntos básicos por el derecho a la comunicación”, junto a distintas organizaciones sociales.

2005: rechazó la extensión de licencias para los principales grupos comunicacionales, planteando que se beneficiaba el escenario altamente concentrado en materia de medios.

También observamos en torno a la distribución de la publicidad oficial que "en la propuesta de Ley de Servicios de Comunicación Audiovisual no está incluido un reclamo histórico de los medios locales, regionales, cooperativos y comunitarios: la distribución equitativa de la publicidad oficial. La explicación es que el proyecto de ley alcanza solo a los medios audiovisuales y que, su inclusión, estaría dejando fuera de todo tipo de regulación respecto de la publicidad oficial, al resto de los soportes comunicacionales.
Precisamente, tomando el conjunto de los medios es que se hace imperioso definir pautas en esa materia. Es que la demanda de más de dos décadas de trabajadores, de la UTPBA y de distintas organizaciones sociales, reclama incluir a esos medios en un esquema de la distribución de la publicidad oficial. Tomar las palabras silenciadas, dar cabida a temas de interés de las comunidades ignorados por los grandes medios es parte de la esencia de miles de AM y FM, canales de cable, puntocom y distintos tipos de herramientas que se expandieron fuertemente en los últimos años.
Son miles de comunicadores sociales cuyo trabajo depende de la consolidación de cada uno de ellos. El gobierno nacional, los provinciales y municipales deben ir sobre esa reparación histórica. No excluir y distribuir entre los que menos tienen también incluye a la comunicación"
La Unión de Trabajadores de Prensa de Buenos Aires que ha sido, entre otros, un actor fundamental en el reclamo, las propuestas y el marco conceptual desde donde había que concebir un nuevo marco regulatorio para el ámbito audiovisual nacional, vuelve a señalar – con coherencia histórica - que No hay Democracia Informativa sin Democracia Económica. Esa es la lucha hoy, la de ayer y la de siempre.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Biblioteca digital Europeana disponibiliza 4,6 milhões de livros

De Lisboa, o colega Martins Morim nos informa que os utilizadores da Internet têm já acesso a 4,6 milhões de livros, mapas, fotografias, clipes de filmes e jornais digitalizados na Europeana, a biblioteca digital multilingue da Europa
A colecção da Europeana aumentou mais do dobro desde o seu lançamento em Novembro de 2008. Num documento de orientação política, a Comissão Europeia declarou hoje o seu objectivo de elevar o número de objectos digitalizados para 10 milhões até 2010.
A Comissão inaugurou também um debate público sobre os futuros desafios da digitalização de livros na Europa: o potencial dos sectores público e privado para se aliarem e a necessidade de reformar o quadro legal dos direitos de autor na Europa, que se encontra demasiado fragmentado.

Livro "Mídia das Fontes" traz análise sobre a ação midiática do Senado Federal

Acaba de sair do prelo o livro Mídia das Fontes- um novo ator no cenário jornalístico brasileiro. Um olhar sobre a ação midiática do Senado Federal.
A obra é o resultado em português da tese de doutorado Média de source - Un nouvel acteur sur la scène journalistique brésilienne, do jornalista Chico Sant'Anna (responsável por este blog, editor do programa Diplomacia na TV Senado e ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas do DF), defendida em 2007, na Universidade de Rennes 1, na França. A íntegra da tese, em francês, está disponível no enlace abaixo e à direita deste blog.
A pesquisa foi agraciada em 2008 pelo Senado Francês com a menção especial do Le Prix de Thèse du Sénat e já foi editada em livro pelo parlamento daquele país (no roda-pé deste blog existe um enlace para encomendar a edição francesa).
A versão em português, editada pelas Edições Técnicas do Senado Federal, deve ser lançada em Brasília, no próximo dia 16 de setembro na Livraria do Senado Federal, localizada no anexo II do Senado Federal. Ainda no dia 19, o livro deverá estar disponível na Feira do Livro do Rio de Janeiro. Proximamente, haverá comercialização via internet, no sítio da Livraria do Senado Federal.
O livro
O livro com 581 páginas é dividido em três partes. A primeira parte recupera a trajetória da comunicação social e a ação das assessorias de imprensa no Brasil. Processo histórico que permitiu formatar um modelo brasileiro muito específico de se praticar a comunicação institucional. São relembrados os movimentos dos jornalistas brasileiros em prol da conquista deste território profissional, até então ocupado por Relações Públicas e profissionais de outras áreas. Também são resgatados os 25 anos de Encontros de Jornalistas de Assessoria de Imprensa - Enjais, bem como os fatores econômicos e políticos que levaram vagas de jornalistas a migrarem das redações para as assessorias de imprensa.
Na segunda parte, o livro traz um diagnóstico do mercado de trabalho atual dos jornalistas brasileiros, setor por setor, e a revelação de que, em média, de cada dez profissionais em ação no país, de 6 a 8 estão trabalhando diretamente para as fontes. É apresentado um cenário da evolução das técnicas tradicionais de assessoria de imprensa para o que o autor denomina de mídia das fontes. Veículos criados, mantidos e operados pelas próprias fontes pra falar diretamente à sociedade, sem intermediação obrigatória da imprensa tradicional. Na visão do autor, as mídias das fontes são frutos do processo de profissionalização do setor, da interiorização de práticas jornalísticas nas assessorias de imprensa e do avanço e barateamento das tecnologias de informação.
Neste propósito, rápidas análises são feitas sobre a Rádio Verde Oliva, do Exército Brasileiro; do Jornal da OAB e da Revista Terra do MST, dentre outras mídias das fontes.
Na terceira parte é apresentado um estudo de caso mais detalhado das mídias das fontes do Senado Federal (rádio, TV, jornal, agência e rádio agência. O trabalho constitui na apresentação do histórico, e da análise do modelo de gestão, dos paradigmas jornalísticos, padrões editoriais, rotinas dos profissionais, bem como em relação à influência destas mídias sobre os jornalistas políticos brasileiros que cobrem o Congresso Nacional, e a mídia tradicional - jornais, rádios e televisões do Brasil.
Em breve daremos mais detalhes sobre o lançamento em Brasília e sobre a comercialização via internet. Eventuais convites para lançamentos e debates podem ser feitos para o e-mail do autor chicosantanna@hotmail.com

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Curso on-line de jornalismo científico ganha versão em português

O curso, em oito lições escritas por especialistas no tema, pode ser usado com proveito por jornalistas profissionais, estudantes de jornalismo e professores. A versão original foi desenvolvida pela Federação Mundial dos Jornalistas Científicos (World Federation of Science Journalists, WFSJ) e pela Rede de Ciência e Desenvolvimento (SciDev.Net).
Cada uma das lições consiste num texto para leitura com exemplos, questões para responder e tarefas a cumprir.
A Lição 2 também contém testemunhos pessoais escritos por jornalistas experientes. Está também disponível um guia do usuário.
A tradução e a adaptação do texto foi realizada por Catarina Chagas e a revisão científica por Luisa Massarani. A versão em português contou com o apoio do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz e do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia/SECIS/ Ministério da Ciência e Tecnologia.
A versão em português está disponível aqui.

TV Digital: Chile quer usar TV digital para rever marco regulatório

Por André Mermelstein, do Tela Viva News, em 26/08/2009

O projeto de lei sobre TV digital que tramita no parlamento chileno aproveita a transição tecnológica para mexer também no modelo de concessões de radiodifusão no país.
Segundo Luis Silva Tapia, gerente de engenharia da Chilevisión, que participou de debate nesta quarta, 26, no congresso da SET, a lei, como está hoje, não determina o modelo de exploração do serviço, permitindo tanto a mobilidade quanto a alta definição e a multiprogramação. Também prevê a abertura de mercado para novos agentes. "Mesmo porque, quando se começou a falar em TV digital no começo da década, o governo congelou as frequências de UHF. Então hoje temos frequências disponíveis em todo o país", disse Tapia.
Segundo ele, a lei também permite a diferenciação entre um canal de TV e a frequência de 6 MHz, permitindo em tese a divisão de frequências entre diferentes players.
A lei também cria novas modalidades de concessão. Haveria concessões nacionais, regionais, locais e comunitárias, dependendo do número de localidades cobertas. Seriam reservados 40% do espectro para as concessões regionais, locais e comunitárias e para as nacionais de caráter cultural.A lei também cria a figura do operador de rede e desvincula as licenças de transmissão da produção de conteúdos. "Uma emissora poderia transmitir conteúdo próprio, de terceiros ou um misto entre os dois", conta Tapia.

TV Digital: TV Cultura relança canais em multiprogramação

Do M&M Online, em 26/08/2009

Depois de uma interrupção de mais de cinco meses, emissora volta a colocar a Univesp TV e o Multicultura no ar

Depois de ter conseguido, no último mês de maio, uma autorização do Ministério das Comunicações para utilizar a multiprogramação e transmitir mais de um canal pelo sistema de TV Digital, a TV Cultura finalmente recolocará no ar os canais Univesp TV e Multicultura a partir desta quinta-feira, 27.
Os dois canais passarão a ocupar as freqüências do sinal digital da emissora e contarão com uma programação diária exibida entre 8h e 23h. O Univesp TV contará com uma grade educacional, voltada ao programa Universidade Virtual do Estado de São Paulo. O canal é fruto de uma parceria entre a Fundação Padre Anchieta e a Secretaria de Ensino Superior do Estado. Já o Multicultura dedicará seu espaço a exibir programas e atrações que marcaram a história e a grade dos 40 anos da TV Cultura, com a utilização de todo o acervo disponível na emissora.
Quando tentou lançar os canais pela primeira vez, no início do mês de março, a TV Cultura esbarrou em problemas e restrições do Ministério das Comunicações que logo obrigou a emissora a retirá-los do ar. Depois de uma longa negociação e de uma tentativa de acordo, o órgão decidiu liberar a veiculação dos canais pelo sistema digital considerando que o conteúdo deles possui utilidade pública e com a condição de que a emissora veiculasse as programações em caráter experimental.

TV Digital: imprensa argentina confirma uso do SBTVD

A imprensa da Argentina confirma a decisão daquele país em optar pelo sistema nipo-brasileiro de TV Digital. As notícias, como a abaixo, publicada no Diario Crónica, tratam, contudo, da tecnologia como sendo japonesa.

La Argentina elegirá la norma japonesa de televisión digital

Lo anunciará la presidenta pasado mañana. Es la misma tecnología que eligió Brasil, donde se producen televisores y decodificadores. Nuestro país era uno de los pocos que no se había decidido.
La presidenta Cristina Fernández de Kirchner tiene previsto oficializar el viernes por la tarde, en San Carlos de Bariloche, la adopción por parte de la Argentina del sistema de televisión digital japonés, informa la agencia DyN.
El anuncio se realizará en coincidencia con la presencia del mandatario brasileño Luiz Inácio Lula Da Silva en la ciudad patagónica para asistir a la cumbre de la Unión de Naciones Sudamericanas (Unasur), dijeron a DyN fuentes oficiales. También está previsto el viaje de un funcionario del gobierno japonés para asistir al evento.
Brasil ha adoptado el sistema japonés de TV digital, en una versión propia, y ya produce televisores y aparatos con esa tecnología en Manaos, con financiamiento de Japón. Esta adhesión de la Argentina le ampliará el mercado. El ministro de Comunicaciones de Brasil, Hélio Costa, ayer publicitó la decisión argentina, luego de hablar telefónicamente con su par argentino, Lisandro Salas. Con esta decisión, la Argentina desestima las opciones de los sistemas estadounidense y europeo para ir realizando el denominado "apagón" del actual sistema analógico de televisión.
El anuncio de la adhesión a la norma japonesa se realizará un día después de la presentación de la nueva Ley de Servicios de Comunicación Audiovisual, que se realizará mañana a las 11 en el Salón de las Mujeres del Bicentenario de Casa Rosada. Está previsto que la presentación se realice por cadena nacional de radio y televisión.

Concurso para professor de Semiótica de Linguagem Publicitária.

Já saiu o edital de concurso da UFRN para a vaga de professor de Semiótica de Linguagem Publicitária. A vaga é para Professor Adjunto/DE e os requisitos são:
Graduação em Artes ou em Letras ou em Filosofia e com doutorado em Comunicação Social ou graduação em Comunicação Social e doutorado em Comunicação Social ou em áreas correlatas à Comunicação Social
As inscrições vão de 08 de setembro a 02 de outubro de 2009 e as provas serão de 26 de outubro a 14 de novembro de 2009
O edital está disponível aqui.

Assessores de Comunicação de universidades têm encontro

O evento em Brasília destina-se às instituições federais de ensino superior

A Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) promove, nos dias 27 e 28 de agosto, a quinta edição do Encontro de Assessores de Comunicação das Instituições Federais de Ensino Superior, na sede da entidade, em Brasília.
As universidades federais do Rio Grande do Sul - Ufrgs, UFCSPA, UFSM, Furg, Ufpel e Unipampa - estão entre as convidadas para o encontro. A coordenadora de Comunicação da UFCSPA, Márcia Veronezi, apresentará um relato sobre o processo de criação do setor de comunicação da universidade.
A programação do evento inclui temas como Comunicação Pública, o papel das ouvidorias na comunicação institucional, a utilização de blogs e a necessidade do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão, discutidos por representantes dos Ministérios da Cultura e da Educação, Empresa Brasil de Comunicação, imprensa local e pesquisadores da área.
Como já é tradicional, os assessores também terão um espaço para relatar experiências de comunicação realizadas nas universidades e formar grupos de discussões sobre os temas em debate. Até o momento são 52 inscritos, de um universo de 58 instituições e profissionais de outras assessorias e da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Bolsa de trabalho para jornalistas na Alemanha

O programa para jornalistas da América Latina organizado pela IJP (Internationale Journalisten-Programme) está com inscrições abertas ao seu programa de bolsas. Os candidatos devem devem ter entre 23 e 35 anos e saber falar alemão e devenm possuir algum vínculo com um veículo de comunicação brasileiro (jornal, revista, televisão, rádio ou internet) nas funções de redator, estagiário ou colaboradores fixos.
A bolsa é de 3.300 euros.
Mais informações clique aqui ou na embaixada alemã em Brasília pelo telefone 61-3442-7026 ou e-mail pr-1@bras.diplo.de

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Macéio: lei aprovada exige diploma de jornalistas

Do portal O Jornalista baseado em informe do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas

A Câmara Municipal de Maceió (AL) aprovou lei de autoria da vereadora Tereza Nelma estabelecendo a obrigatoriedade dos poderes Executivo e Legislativo municipais de nomearem apenas profissionais formados em curso superior para cargos em comissão, assessorias ou prestação temporária de serviços para funções jornalísticas de difusão de informações através de qualquer mídia, observando o mesmo procedimento para as áreas de publicidade e relações públicas.
A lei aprovada também exige que os conteúdos das provas para contratação através de concurso público deverão exigir conteúdo de conhecimento baseado nos programas dos cursos de formação superior, para o preenchimento de cargos de jornalista, publicitário e relações públicas.
"A lei aprovada é perfeitamente constitucional, pois os cargos em comissão são de livre nomeação. E, por isso, a Câmara pode estabelecer a exigência de formação superior para que jornalistas, publicitários e relações públicas ocupem esses cargos na administração pública de Maceió. Agora só falta a sanção do Prefeito", afirmou a vereadora Tereza Nelma.
A lei de Tereza Nelma prevê que o poder Executivo Municipal faça a regulamentação legal no prazo máximo de 90 dias, enquanto a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Maceió fará o mesmo definindo ainda os cargos efetivos, em comissão, assessorias e prestação de serviço temporário que exigem formação superior específica.
"Estamos corrigindo, pelo menos em parte, o desserviço social provocado pela decisão do Supremo Tribunal Federal de acabar com a exigência de diploma universitário específico para o exercício da profissão de jornalista. A formação superior elevou, e muito, a qualidade do direito constitucional que todos temos a uma informação de qualidade", conclui Tereza Nelma.
A iniciativa que deve ser seguida por outros legislativos do País evitará que a decisão do STF acabe estimulando o compadrio e a picaretagem indiscriminada, pelo menos no setor público municipal.

Agência aprova internet e TV Paga na rede elétrica

Do M&M Online, em 25/08/2009

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) determina que lucro obtido com o serviço deverá baratear as contas de energia elétrica em todo o Brasil

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 25, as regras que permitem a utilização da rede elétrica como meio de condução dos sinais de televisão por assinatura e internet. As redes poderão ser compartilhadas, ou seja, portar tanto eletricidade como sinais de TV e internet, desde que garantindo a qualidade de todos os serviços utilizados.A aprovação da tecnologia que suporta o serviço, conhecida como Power Line Communications (PLC), segundo a Aneel, representa a "introdução de novos usos para as redes de distribuição de energia elétrica, sem que haja necessidade de expansão ou adequação da infraestrutura já existente".
Além dos serviços de internet banda larga, voz e vídeo para os consumidores, o PLC permite que as distribuidoras incorporem serviços de "telemedição", como leitura remota de medidores, corte e religamento à distância; supervisão do fornecimento e da qualidade da energia; controle das perdas técnicas e comerciais, e monitoração remota das redes elétricas.
Mas as distribuidoras de energia elétrica não podem ainda oferecer TV por assinatura e internet. Caso o desejem, precisarão criar uma subsidiária e pedir autorização para a Anatel.
Contas mais baratasPela determinação, os lucros obtidos com a distribuição de televisão por assinatura e internet resultarão em redução de custos para os consumidores de energia elétrica. Além disso, "os consumidores de telecomunicações também serão beneficiados, pois o uso de redes existentes evita custos com implantação de novas infraestruturas", afirmou nota da entidade publicada em março passado.
Segundo o portal G1, o serviço não estará disponível de imediato, porque o início das operações em cada região depende das distribuidoras. Especialistas ouvidos pelo O Globo dizem que o prazo é de 12 a 18 meses.

Faturamento da mídia cresce 1% no 1º semestre

Por Eliane Pereira, do M&M Online, em 25/08/2009

Números do Projeto Inter-Meios mostram que os veículos arrecadaram R$ 9,6 bilhões com venda de espaço publicitário no período

O faturamento publicitário dos veículos de comunicação ficou praticamente estável no primeiro semestre de 2009, segundo os resultados do Projeto Inter-Meios. Em conjunto, a mídia brasileira faturou R$ 9,67 bilhões nos seis primeiros meses do ano, contra R$ 9,57 bilhões do mesmo período do ano passado, resultando num aumento nominal de 1%. O meio que registrou o maior índice de crescimento foi a internet, com 22,8% (R$ 394,5 milhões em valor), seguida da mídia exterior, com 12,4% (R$ 300,1 milhões).
A TV aberta, por seu turno, ampliou sua participação no total das verbas publicitárias, chegando a 60,2% (equivalente a R$ 5,8 bilhões). O crescimento do meio foi da ordem de 3,9%.
Também tiveram desempenho positivo os meios TV por assinatura, com 4,8% (faturamento de R$ 327,1 milhões) e rádio, com 6,2% (R$ 441 milhões). Na contramão do mercado, os jornais registraram queda expressiva de 10% no faturamento publicitário (R$ 1,48 bilhão), bem como as revistas, com recuo de 8,7% (R$ 696 milhões) e o cinema, com -5,4% (R$ 32,2 milhões). A maior retração foi verificada no segmento de Guias e Listas, -16,7% (R$ 171,6 milhões).
A expectativa de executivos de mídia é de recuperação neste segundo semestre, de tal forma que o mercado publicitário feche o ano com crescimento nominal de 3%. Os resultados detalhados podem ser acessados no site www.projetointermeios.com.br.

Imprensa: TST determina pagamento por plantões em finais de semana

Estadão terá de indenizar ex-editor de fotografia por trabalho em fins de semana

Por Eduardo Neco do portal Imprensa

O jornal O Estado de S.Paulo teve recusado seu recurso contra determinação judicial que garantiu ao editor de fotografia Fábio Augusto Moreira Salles o pagamento referente a plantões nos fins de semana. O relator do caso, ministro Lelio Bentes Correâ, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), informou que o editor trabalhava um fim de semana de cada mês e que o Estadão não conseguiu comprovar a compensação do trabalho de Salles com folgas proporcionais.
Segundo informação do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ), o TRT reconheceu de forma parcial o recurso movido por Salles, que requeria compensações em caráter de hora extra. Por entender que o editor exercia cargo de confiança, o TRT fixou condenação ao diário referente ao trabalho em plantões em 23 horas por mês, sem acréscimo.
Então, o valor de indenização será calculado da seguinte maneira: salário normal fixo mais comissão (mês a mês) que será dividido por 220 horas. O valor da hora mensal será multiplicado por 23 horas (correspondentes aos plantões mensais). À época de sua demissão, julho de 1998, o editor recebia R$ 6.800 mais R$ 700 mensais de comissão sobre a venda de fotos (25%). Contratado como subeditor de fotografia pela Agência Estado em novembro de 1989, em julho de 1993 passou a atuar no jornal, até que foi dispensando sem justa causa cinco anos depois. Salles afirma que nunca cumpriu jornada de cinco horas; trabalhava de segunda a sexta-feira, das 9h às 22h, e tinha meia hora de intervalo para o almoço.
O editor nega ter exercido cargo de confiança, uma vez que estava subordinado aos editores-chefes do Grupo Estado e da redação do diário, e estes, por sua vez, respondiam diretamente ao secretário e ao diretor de redação.
O departamento jurídico trabalhista do jornal informou ao Portal IMPRENSA que entrará com novo recurso em instâncias superiores do próprio TST requisitando a discussão do mérito do primeiro recurso do diário que não foi reconhecido pelo Tribunal. Caso a ação seja novamente rejeitada, o departamento afirma que considera a possibilidade de recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

TV Digital:Brasil tem menos de 200 mil receptores instalados

Por André Mermelstein, do Tela Viva news, em 26/08/2009.

Embora tenha sido anunciado na abertura do Congresso da SET que o Brasil teria hoje 1,3 milhão de receptores de TV digital terrestre, um fornecedor experiente garantiu a este noticiário que o número real não passa de 200 mil, incluídos set-tops e TVs com receptor integrado.
Segundo a fonte, haveria no mercado 100 mil set-top boxes instalados, e de 80 mil a 100 mil TVs com recetor embutido.O número anunciado, de 1,3 milhão, leva em conta, diz a fonte, a venda de televisores com capacidade HD, mas que não recebem os sinais terrestres.

Cineclube Pólis exibe "MÍDIA, PODER E SOCIEDADE"

O documentário, produzido pela TV Senado, busca esclarecer as relações entre três entidades que ganharam novas formas e importâncias na virada do século XX para o século XXI. Com depoimentos de jornalistas como Mino Carta, Renata Lo Prete, Alberto Dines, Ziraldo, Franklin Martins, Sidney Basile e Cremilda Medina, que usam sua experiência profissional para analisar a influência da mídia na sociedade, o documentário fala do que influencia a imprensa, dos processos de produção das notícias e das manchetes e dos interesses que se escondem por trás delas. Mídia, poder e sociedade é uma tentativa de ajudar os brasileiros a entenderem melhor o Brasil.
Após a sessão será realizado um debate com o cientísta político Eduardo Viveiros, pesquisador do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política (NEAMP) do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da PUC-SP; Marcos Romiti, diretor de fotografia e professor do SENAC; e Celso Bodstein, pesquisador da UNICAMP, na área de jornalismo e professor da PUC-CAMPINAS.

Mídia, Poder e Sociedade
DURAÇÃO: 52 min
ROTEIRO E DIREÇÃO: Aluízio Oliveira
PRODUÇÃO E ASSISTÊNCIA DE DIREÇÃO: Márcia Torres
DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA: Elder Miranda
SOM E LUZ: Marcos Silva
EDIÇÃO: César Mendes e Aluízio Oliveira
EDIÇÃO DE IMAGENS: Marcílio Soares e Márcio Stuckert
FINALIZAÇÃO: Márcio Stuckert
COORDENAÇÃO: Chico Sant´Anna

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Diploma de jornalista será debatido em audiência pública na quinta

A exigência do diploma universitário para o exercício da profissão de jornalista será debatida na próxima quinta-feira (27/08) em audiência pública conjunta das Comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e de Educação e Cultura da Câmara.
O debate será realizado por iniciativa da deputada Raquel Teixeira(PSDB-GO), que teve seus requerimentos de audiência pública subscrito por vários deputados nas duas comissões. Além da discussão sobre a necessidade ou não de se regulamentar a profissãode jornalista, a audiência também pretende avaliar as consequências dadecisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que dispensou o diploma de curso superior de jornalismo para o exercício profissional na área. "Há posicionamentos divergentes entre os diversos segmentos da nossasociedade quanto à conveniência desse diploma, por isso, julgo importanteque se possa debater a exigência ou não de graduação para o exercício dessa profissão de grande relevância. Creio que chegaremos a uma decisão satisfatória para os profissionais, para os meios de comunicação e para asociedade brasileira", argumentou Raquel Teixeira em seu requerimento.
Foram convidados para o debate o ministro do STF, Marco Aurélio; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto; o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo de Andrade; o Presidente do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ), Edson Spenthof; a Presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Judith Brito; o presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), Gilberto Selber; e o presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Daniel Pimentel Slaviero.
A audiência está marcada para as 9h30, no plenário 13.

TV Digital: Manaus será a 23º cidade com sinais digitais

Do Pay-TV news

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, assina, nesta terça, 25, os termos de consignação dos canais digitais para as emissoras de televisão de Manaus. As emissoras que receberão a consignação de canais digitais na capital amazonense são a Rádio TV do Amazonas (afiliada Globo); Rádio e Televisão Rio Negro (afiliada Bandeirantes); Televisão A Crítica (afiliada Record); Fundação Televisão e Rádio Cultura do Amazonas; e Sociedade de Televisão Manauara LTDA (afiliada SBT).
A primeira a transmitir digitalmente em caráter permanente deve ser a Rádio TV do Amazonas, que começa a transmitir na próxima segunda-feira, 31 de agosto.
Já contam com transmissões digitais em caráter definitivo: São Paulo, Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro, Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Campinas (SP), Cuiabá (MT), Salvador (BA), Florianópolis (SC), Vitória (ES), Uberlândia (MG), São José do Rio Preto (SP), Teresina (PI), Santos (SP), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Fortaleza (CE), Recife (PE), João Pessoa (PB), Sorocaba (SP) e Belém (PA).

TV Digital: Argentina deve adotar padrão nipobrasileiro ainda nesta semana

Por Mariana Mazza, do Telaviva news

O governo brasileiro continua avançando na disseminação do padrão nipobrasileiro de TV digital na América Latina. O próximo país, após o Peru, que deverá oficializar a escolha do sistema utilizado no Brasil é a Argentina. O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse nesta terça-feira, 25, que o convênio bilateral pode ser assinado ainda nesta semana. A escolha já estaria acertada e foi comunicada ao ministro Costa pelo Secretário de Comunicações da Argentina, Carlos Lisandro Salas, em telefonema feito ontem.
A assinatura do convênio deverá ocorrer na próxima sexta-feira, 28, quando uma comitiva do Brasil, comandada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, visitará a cidade de Bariloche, na Argentina. “Provavelmente nesta data vai ser assinado o convênio Brasil/Argentina. É um passo importantíssimo para a TV digital na América Latina”, afirmou o ministro. Ele disse ainda que a expansão do padrão nipobrasileiro na América Latina é muito relevante para a indústria de equipamentos. Caso cinco países latinos adotem o sistema, calcula-se que a produção de aparelhos televisores pode dobrar.

Crise! Que Crise!?- Globo deve crescer de 5% a 6% em 2009

Por Daniele Frederico, do TelaViva News

O crescimento da Rede Globo em 2009 deve ser de 5% a 6% em relação a 2008, projeção um pouco abaixo dos 7% previstos anteriormente, segundo o diretor geral da Central Globo de Comercialização, Willy Haas Filho. “A crise não foi tão grande no Brasil como em outros países. É claro que todo o mercado publicitário sofre, é como um ecossistema, mas a TV sofre menos”, afirma. Para o último quadrimestre do ano e para 2010 as expectativas são positivas. “Para este ano, há sinais de recuperação da economia. Ano que vem será um ano auspicioso. Acreditamos que vamos conseguir crescer mais do que em 2009”, diz Haas, lembrando que em 2010 acontece a Copa do Mundo de Futebol.

Uol tem preju de 10% no segundo trimestre

Lucro do UOL no segundo trimestre recuou 10%
Portal brasileiro participado da Portugal Telecom teve lucro de R$ 23,8 milhões no segundo trimestre. Em junho tinha 1,27 milhões de assinantes de banda larga.
Da Redação
Do portal Portugal Digital

Lisboa - O UOL, participado da Portugal Telecom a 29%, apresentou no segundo trimestre do ano uma redução de 10% em seu lucro líquido, que caiu para R$ 23,8 milhões. No conjunto do primeiro semestre, porém, o portal e provedor de Internet brasileiro conseguiu um crescimento de 19% do lucro, que atingiu R$ 60,6 milhões.
O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) da companhia no segundo trimestre caiu 5%, para R$ 33,6 milhões, embora no semestre, com um EBITDA de R$ 76,4 milhões, o UOL tenha registrado um crescimento de 9% face ao ano passado.A receita de publicidade e outras somou R$ 98,3 milhões no trimestre e R$ 186,7 milhões no senestre, representando um crescimento de 42% e 53%, respectivamente, sobre os mesmos períodos de 2008. "Esse aumento deveu-se ao crescimento da receita de publicidade, da receita com os produtos lançados ao longo dos últimos dois anos e das receitas de nossas recentes aquisições", informou o UOL.
O número de assinantes pagantes de banda larga do UOL atingiu 1,27 milhões em junho de 2009, um aumento de 19% sobre junho de 2008.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Hablemos de Relaciones Públicas

Programas de rádio e de TV que analisem e que falem dos meios de comunicação são comuns em diversos países, mas na Argentina, há um programa de rádio especializado em Relações Públicas. Hablemos de Relaciones Públicas é um programa veiculado pela FM RADIO PALERMO e dedicado a comentar tudo o que pasa em no mundo das Relações Públicas: no âmbito empresarial, institucional, nas consultorias e nas universidades. O programa vai ao ar todas as quintas-feiras de 19h às 20h, hora de Buenos Aires, e também pode ser ouvido na internet por meio deste enlace.

domingo, 23 de agosto de 2009

Europa: "geração digital" não quer pagar por conteúdos

Dados da Comissão Européia - o Executivo da União Européia - apontam que, em 2008, 56% dos Europeus são internautas regulares, o que representa um crescimento de 33% sobre 2004. Segundo o relatório, metade das residências e 80% das empresas dispõem de conexão de banda larga. Para a união Européia isso representa o surgimento de uma geração digital.

Os internautas mais assiduos tê,menos de 24 anos de idade e 66% surfam diariamente na rede. Na média geral européia, computando todas as idades, apenas 43 % do total da população têm hábito de navegar.
Uma característica desta geração digital, que chamou a atenção da Comissão Européia, é o fato de que os jovens usuários da rede são refratários a idéia de pagar pelos conteúdos e serviços disponveis na Internet. Segundo o relatório, esta geração é reticente a abrir a carteira para descarregar ou mesmo consultar produtos e conteúdos, como músicas, vídeos. 33 % afirmaram que não estão dispostos a pagar qualquer que seja o valor do serviço.

Mais detalhes, em francês, estão na matéria do Le Monde, De plus en plus connectés, les Européens restent réticents à payer pour du contenu en ligne

França: Jornal Liberation acusa France Presse de ser subserviente ao poder

Briga de cachorro grande na imprensa francesa. O jornal Liberation acusa a tradicional agência de notícias France Presse fazer vistas grossas em relação às denúncias contra o governo francês, em especial o presidente Nicolas Sarcozy. Vale lembrar que a France Presse tem capital estatal na sua composição, mas sempre esteve acima da suspeição de interferências governamentais em sua linha editorial.

O jogo do poder consiste em esconder as informações desagradáveis e, quando esta dissimulação se apresenta impossível, em retardar ou relativisar (...) A AFP, em trêscircuntâncias, se apresentou como auxiliar do poder. Isto é a sua nova política editorial - questionou, dia 7/8, em Editorial do Liberation Laurent Joffrin, diretor do diário.
Três dias mais tarde, o próprio Liberation trouxe a resposta da France Presse, na pessoa de Philippe Massonnet, diretor de informação da AFP, que refutou todas as acusações.
Vossas insinuações são insultantes para osjornalistas da AFP que para assegurar o pluralismo da informação colocam, rotineiramente, em risco a própria vida nos quatro cantos do planeta.

Mais detalhes, em francês, desta polêmica, que fala bem de perto aos veículos estatais brasileiros, pode ser conferida aqui na reportagem de Le Monde.

Curso ensina a avaliar a imagem das organizações na mídia

Avaliando a imagem das organizações na mídia:
Como construir um projeto de auditoria de imagem

A Comtexto Comunicação e Pesquisa
promove no dia 23/10, entre 8h às 18h, em São Paulo/SP, o
curso Avaliando a imagem das organizações na
mídia: como construir um projeto de auditoria de
imagem,
a ser ministrado pelo prof. Wilson da
Costa Bueno, pioneiro na realização deste trabalho no Brasil.

O curso tem como públicos prioritários
profissionais de Comunicação/Marketing (RPs,
jornalistas, assessores de imprensa,
publicitários, profissionais de marketing),
gestores de comunicação das organizações
(gerentes/diretores de comunicação), professores
de Comunicação e demais interessados. Dá atenção
especial a agências de Comunicação/Relações
Públicas e Assessorias que planejam incorporar
este tipo de trabalho em seu portfólio de produtos e serviços.

Ementa básica do curso
O curso está distribuído em 5 grandes temas:
a) Imagem e reputação das organizações: refinando os conceitos
b) O papel da mídia na formação da imagem das organizações
c) A emergência das mídias sociais e a formação da imagem/reputação
d) A auditoria de imagem na mídia: equívocos e desafios contemporâneos
e) Construindo um projeto de auditoria de imagem

Inscrição no curso
As inscrições estarão abertas a partir de 1º setembro de 2009 e terão o seguinte custo:

Profissionais / professores de Comunicação (pessoas físicas)
Até 30 de setembro: 300 reais
A partir de 1º de outubro: 360 reais

Empresas ou organizações em geral (pessoas jurídicas)
Até 30 de setembro: 360 reais
A partir de 1º de outubro: 450 reais

Informações sobre o curso
Maiores informações podem ser solicitadas pelo
telefone (11) 3872-0351 ou (11) 7124-0359 ou pelo
e-mail: comtexto@comtexto.com.br. Caso tenha
interesse ou necessidade de entrar em contato
diretamente com o professor, utilizar o e-mail professor@comtexto.com.br.

sábado, 22 de agosto de 2009

Governo estuda novo imposto sobre livros

Da AE - Agencia Estado

BRASÍLIA - O Ministério da Fazenda discute internamente a possibilidade de criar um novo tributo a ser cobrado das editoras de livros para viabilizar a implementação do Fundo Pró-Leitura, instrumento para incentivar a leitura no País. A proposta, que tem origem no Ministério da Cultura, conta com o apoio de integrantes do gabinete do ministro da Fazenda, Guido Mantega, mas não tem a simpatia da área técnica, principalmente Receita Federal e Secretaria de Política Econômica.
Os técnicos contrários à tributação avaliam que o momento de crise econômica não é propício para aumentar a carga tributária, ainda que de um setor específico. Além disso, um novo tributo tornaria ainda mais complexo o já complicado sistema tributário brasileiro. A avaliação desses técnicos é que, se não houver alternativa e for definida a tributação, o melhor seria elevar PIS/Cofins do setor.
Os defensores dentro do governo da nova tributação argumentam que esse foi um compromisso assumido pelos livreiros em 2004, quando, no Plano Nacional do Livro e Leitura, houve a desoneração de PIS/Cofins das editoras. A contrapartida assumida à época pelos editores foi a de as empresas contribuírem com 1% do faturamento anual para o Fundo Pró-Leitura, que financiaria atividades como montagem de bibliotecas e formação de professores e bibliotecários. Pelos cálculos preliminares do Ministério da Fazenda, a contribuição para o fundo representaria um custo de R$ 60 milhões por ano ao setor.
A eliminação do PIS/Cofins representou uma renúncia fiscal da ordem de R$ 300 milhões. O governo esperava que a desoneração resultasse na redução dos preços dos livros, o que, segundo uma fonte, não ocorreu. ?As empresas usaram a desoneração e não contribuíram para o fundo?, afirmou. "Os preços de livros só caíram recentemente por causa da crise."
O diretor de livro, leitura e literatura do Ministério da Cultura, Fabiano dos Santos Piúba, defendeu a contribuição do setor para o fundo, destacando que representaria "um compromisso social do setor para a constituição de um país leitor". Piúba ressaltou que o fundo vai fomentar a criação e modernização de bibliotecas, bem como a ampliação de seus acervos, formação de professores, bibliotecários, contadores de histórias e campanhas de leitura.

Congresso se rende ao Twitter, novidade na política

Microblog dá notícias em primeira mão, até sobre renúncia

Por Leandro Colon, de O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA - Cento e quarenta toques num teclado de computador têm excitado a política brasiliense. Agora, políticos, quando podem, deixam os repórteres de lado e se manifestam no famoso microblog Twitter, febre na internet que chegou de vez ao Congresso nesta semana.

Dão, inclusive, notícias em primeira mão. Foi o que fez na quinta-feira, 20, o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) ao anunciar, em seu Twitter, que renunciaria à liderança do partido. "Eu subo hoje à tribuna para apresentar minha renúncia da liderança do PT em caráter irrevogável."

O "irrevogável" perdeu a validade logo na manhã da sexta-feira, 21. A tarefa de divulgar o recuo do senador paulista coube a João Pedro (PT-AM). "O senador Mercadante entrou em contato comigo hoje de manhã e disse que permanecerá no cargo", avisou.

Mercadante acabou sendo vítima do seu próprio Twitter. Logo após seu discurso de recuo em plenário, milhares de mensagens de repúdio à sua postura invadiram o microblog. Foram mais de três mil manifestações em poucas horas. "Fui às ruas pelo PT, fiz campanha pelo PT, votei no PT e hoje você ajudou a decidir o que fazer no futuro: PT nunca mais", enviou a Mercadante um internauta chamado Igor Polaroid.

Na sexta, aliás, o nome do senador estava entre os cinco mais comentados do dia no Twitter brasileiro. "Estou decepcionado com sua atitude, eu via em você um grande político, mas agora deixou se envenenar pelo próprio partido", disse o internauta de codinome "tiagojacot".

Mercadante então reagiu na internet, se ancorando no apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "O presidente disse que sou imprescindível, apesar das divergências diante da postura do PT e do governo frente à crise do Senado", disse.

Desafeto de Mercadante, o petista Delcidio Amaral (MS) procurava - pelo Twitter - alguém em seu Estado, enquanto o colega discursava no Senado. "Bom dia. Mato Grosso do Sul, onde está Wally?" Delcídio votou a favor de Sarney na quarta-feira na sessão do Conselho de Ética. Naquele dia, atacou Mercadante na internet.

"Coisa feia Mercadante. Pela manhã assumiu, junto aos senadores João Pedro e Ideli que iria ler carta do presidente Berzoini. Na coletiva, negou", disse. Na referida carta, Berzoini defendia o apoio a Sarney. O presidente petista também manifestou-se ontem no microblog. "Mercadante anunciou que fica na liderança do PT no Senado. Correto", disse.

Político assíduo no Twitter, o líder do DEM, José Agripino (RN), não desgruda de seu iPhone, por onde envia suas mensagens diárias. "Eu sabia que a pinimba de Lula com o Senado ia dar no que deu. Assumiu a liderança do PT já enxotando quem não quer", afirmou o senador. Mais discreto, Cristovam Buarque (PDT-DF) também deixou seu recado. "Os senadores do PT se transformaram em carteiros, um dia, carta do Berzoini. Outro dia, carta do Lula".

Pelo Twitter, deputados e senadores divulgam agenda, comentam assuntos do dia e falam até de futebol. É uma forma, inclusive, de passar longe de microfones, gravadores e holofotes. Mas, em troca, correm o risco de serem bombardeados pelos internautas, como foi o caso de Mercadante.

Senado lança newsletter multimídia

A Secretaria de Comunicação do Senado Federal lançou uma nova news letter para informar à sociedade e aos meios de comunicação sobre os fatos que acontecem naquela Casa. A novidade da newsletter é que ela é multimídia. O usuário terá acesso num mesmo produto a notícias em texto, fotos, rádioreportagens e telereportagens. É uma forma de otimizar os trabalhos da TV Senado, Rádio Senado, Jornal do Senado e da Agência Senado de Notícias. Além das notícias do cotidiano, o leitor contará também com a agenda do Parlamento. Denominada Senado Online, agência multimídia a newsletter vai ser enviada a uma extensa mala direta e também pode ser acessada no endereço http://www.senado.gov.br/comunica/agencia/novomultimidia/default.html

Brasil: Circulação dos jornais cai 4,8%, mas assinatura dos jornais online cresce 12,5%

Por Paulo Rebêlo, do blog de notícias Jornalismo nas Américas, em 19/08/2009

Números atualizados do Instituto Verificador de Circulação (IVC) e publicados pelo Comunique-se mostram queda no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2008.
A circulação média nos primeiros seis meses de 2009 foi de 4.231.165 exemplares, contra 4.394.047 em 2008. No topo da lista dos dez maiores jornais brasileiros consta a Folha de S. Paulo, com circulação média de 297.118 exemplares, teve queda de 5%. O Globo, quarto lugar no ranking, caiu 6,3%. Sexto colocado, o Estadão caiu 17,9%.
O jornal popular Meia Hora, que já disputou com a Folha de S. Paulo o primeiro lugar no ranking, caiu 20,4% e hoje está na sétima posição. A queda generalizada neste semestre vai contra a análise de 2008, quando o IVC registrou aumento de circulação.
Enquanto isso, o mesmo IVC mostra que o número de assinaturas digitais cresceu 12,7% em um ano. Em maio de 2008 eram 5.476 assinaturas contabilizadas e em maio de 2009 são 6.149. No entanto, vale realçar que apenas cinco jornais são auditados em suas versões online: Estadão, Jornal da Tarde, Estado de Minas, O Globo e Correio do Estado.

Câmara vota projeto que permite telefônicas operarem TV paga

Do M&MOnline, em 21/08/2009

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou na última quinta-feira, 20, um projeto que autoriza a operação das empresas de telefonia fixa na área de TV por assinatura.A medida, entretanto, ainda não estabeleceu os detalhes acerca da participação e da forma como as empresas poderão atuar no setor. De acordo com a Comissão de Defesa, existe uma ideia de permitir com que a participação das companhias de telefonia não ultrapasse 30% do mercado geral de televisão paga.
A proposta, que desperta várias polêmicas e divergências entre as distribuidoras de canais por assinatura e as operadoras de telefonia fixa, será novamente votada na próxima semana, quando também devem ser julgados outros aspectos existentes no texto, como a aplicação das leis para os portais de internet que também transmitem conteúdo televisivo. O mesmo texto também estabelece que as operadoras de telefonia não poderão cobrar pelo fornecimento do ponto-extra, assim como já é estabelecido para as distribuidoras de canais à cabo.
Mesmo estando aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor, o projeto ainda precisa ser votado pelas Comissões de Ciência e Tecnologia e pela Constituição e Justiça da Câmara. Caso passe por essas outras duas etapas, o projeto, então, seguirá para o senado.

Volta da exigência do diploma para jornalistas terá votação rápida na Câmara

Por Eva Menezes, do blog de notícias Jornalismo nas Américas, em 12/08/2009

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 386/09 (arquivo PDF), do jornalista e deputado federal Paulo Pimenta, que busca restabelecer a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para o exercício da profissão no Brasil, foi entregue esta semana à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), onde será analisada, informa a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ). O deputado Maurício Rands foi indicado como o seu relator.
Se aprovada pela CCJC, a presidência da Câmara dos Deputados garantiu que agilizará a tramitação da proposta até a sua votação em plenário, acrescenta a FENAJ. Na última quarta-feira, o presidente da FENAJ e o deputado Pimenta tiveram uma reunião com o deputado e relator Rands, onde lhe entregaram um dossiê contendo documentos que subsidiarão o trabalho da CCJC, segundo o blog de Pimenta.
“O resultado do trabalho jornalístico influi diretamente no comportamento da sociedade, por isso é necessário dar garantias a essa sociedade de que os profissionais que exercem a atividade jornalística têm formação qualificada. (...) Não se pode brincar com o fazer jornalismo e transformar todo cidadão, que bem entender, em jornalista”, disse Pimenta durante a reunião, citado em seu blog.
Desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) votou pelo fim exigência do diploma em junho deste ano, a FENAJ tem se manifestado e mobilizado contra a decisão.
Leia mais sobre a polêmica do diploma aqui.

União européia alerta contra analfabetismo midiático

De Portugal, o jornalista Martins Morim nos informa que, na Europa, a Comissão Europeia alertou os europeus, jovens e idosos, para o facto de poderem perder as vantagens da actual sociedade da informação de alta tecnologia se não forem intensificados esforços com vista à sua literacia (analfabetismo) mediática, que lhes permita aceder a imagens, sons e textos, analisá-los e apreciá-los, bem como utilizar os media tradicionais e novos para comunicarem e criarem conteúdos mediáticos.
A forma como são tilizadas as mídias está a mudar, na medida em que o colossal volume de informação disponível exige de nós muito mais do que apenas ser capazes de ler, escrever e usar um computador.
A Comissão afirmou que os países da UE e o sector dos media devem sensibilizar os cidadãos para as inúmeras mensagens mediáticas que recebem, sob a forma de publicidade, filmes ou conteúdos em linha.

A [integra da recomendação da União Européia está disponível aqui.

EUA: imprensa quer acabar com o "off the record" em eventos públicos

Por Dean Graber, do blog de notícias Jornalismo nas Américas, em 21/08/2009

Treze grandes organizações de notícia e meios de comunicação enviaram uma carta conjunta a cerca de 600 secretários de imprensa do Congresso e da administração Obama, onde pedem o fim à crescente prática de políticos e autoridades públicas de falar "off the record", conhecida no Brasil como "off", ao discursar para grandes audiências. A iniciativa Sunshine in Government coordenou a carta, e a revista Editor & Publisher (E&P) publicou esta nota sobre o assunto. (Leia nota da EFE em português.)
A prática de falar em "off" está ficando cada vez mais comum entre funcionários do governo americano de todas as hierarquias, disse Rick Blum, da Sunshine in Government, à E&P. "Nesses dias de Twitter e blogs, um discurso 'off the record' será divulgado [de qualquer forma], não só por repórteres. Não faz mais sentido e esta prática deve acabar", disse Blum.
As organizações que assinaram a carta estão listadas no final desta página.

Mobilidade: cresce o número de aviões conectados à Internet

Do Teletime News, em 21/08/2009

O número de aviões comerciais que oferecem acesso à Internet via WiFi para os passageiros está crescendo rapidamente, principalmente nos EUA. Em 2008, eram apenas 25 aviões. No fim de 2009, serão 800, segundo previsão da In-Stat. A maior parte, 505 aeronaves, usa o serviço da Aircell, uma empresa norte-americana que possui uma rede CDMA EV-DO em 800 MHz construída especialmente para atender o mercado aeronáutico. Seu primeiro cliente nos EUA foi a American Airlines, que esta semana anunciou a extensão da oferta para mais 100 aviões usados em vôos nacionais.
Na American Airlines o serviço foi batizado de "GoGo" e custa entre US$ 5,95 e US$ 12,95, dependendo da duração do vôo e do tipo de terminal usado (PDA ou laptop). Segundo a In-Stat, o acesso à internet em aviões movimentará US$ 47 milhões este ano no mundo inteiro e alcançará US$ 1 bilhão em 2012. As informações são do sítio Rethink Wireless.

Festival de cinema da Cidade do México abre suas inscrições

Estão abertas até o dia 30 de outubro as inscrições para o 7º Festival Internacional de Cine Contemporáneo de la Ciudad de México (Ficco). O evento acontece na capital mexicana de 24 de fevereiro a 7 de março de 2010. Serão aceitas as inscrições de longas-metragens de ficção e documentários que tenham sido realizados em 2009 e ainda não tenham sido exibidos no México.
Mais informações e inscrições aqui.

Oi lança edital para escolha de conteúdos audiovisuais

A Oi lançou um novo edital de pitching para produtores de conteúdo convergente. Em seu segundo ano, o concurso da operadora convida produtoras nacionais a inscrever criações que possam ser distribuídas via Internet, celular, Oi FM e OiTV.
O projeto selecionado terá um orçamento de até R$ 350 mil para realização. As inscrições estão abertas até 17 de setembro.
Informações clique aqui.

O vencedor do pitching da Oi em 2008, "Os Buchas", da Vitória Produções e da Pérola Negra Produções, estreia em 4 de setembro no Canal Oi. O primeiro episódio da série, que conta a história de três amigos que protagonizam fracassos tipicamente masculinos, já está no sítio.

Debate lança livro sobre comunicação pública e lusofonia

O livro LUSOCOMUM: Governança, Transparência, Accountability e Comunicação Pública vai ser lançado com a realização de um debate na próxima terça (25/8), às 19h20, no Auditório do Bloco D do IESB (campus Edson Machado, quadra 615 Sul).

A publicação, que conta com artigos de especialistas em Comunicação Pública de países de língua portuguesa (Brasil, Portugal, Moçambique e Cabo Verde), é resultado de seminário internacional realizado pela Coordenação do Curso de Pós-graduação em Assessoria em Comunicação Pública do IESB, com apoio do CNPq, Imprensa Nacional e Instituto Camões/Embaixada de Portugal.

As inscrições ao debate do lançamento do livro são limitadas e podem ser feitas pelo site http://www.iesb.br/email_mkt/lusocomum.html. As primeiras sessenta pessoas que chegarem ao evento receberam exemplares do livro.

PROGRAMAÇÃO
25/08, Terça-feira 19h20 Abertura oficial Prof.ª Amélia Regina Alves (Coordenadora Geral da Pós-Graduação do IESB)
19h35 Debate com autores do livro
  • Jorge Duarte (SECOM-PR/IESB) Os desafios da comunicação pública
  • João José Forni (IESB) Gerenciamento de Crises e Transparência
  • Luiz Martins (UnB) Comunicação Pública e filatelia
  • Fernando O. Paulino (UnB/IESB) Comunicação, Accountability e Responsabilidade Social no Brasil
  • José Roberto Garcez (EBC) EBC Serviços: uma opção para o financiamento da Empresa Brasil de Comunicação (EBC)
  • Rachel Mello (IESB) Sobre o exercício de perguntar, uma descrição do caminho
  • Mônica Prado (IESB) Publicidade de utilidade pública no Brasil
  • Hellen Mendes Carvalho de Freitas (IESB) O contexto da comunicação pública no Brasil e uma breve análise dos conceitos de Estado, governo e sociedade civil
  • Otavio Luiz Rodrigues Junior (IESB) Liberdades Constitucionais de Pensamento e de Expressão: a proteção da consciência e de sua exterioridade

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Inscrição para XXX Prêmio Mídia Global do Population Institute

Estarão abertas até 4 de setembro as inscrições para XXX Prêmio Mídia Global do Population Institute, que acontece em Washington DC, EUA. Os trabakhos inscritos devem versar sobre os problemas populacionais globais. As categorias em que os candidatos podem participar são as seguintes:
  • Melhor Matéria ou Série
  • Melhor Livro
  • Melhor Serviço Noticioso
  • Melhor Serviço Noticioso Online
  • Melhor Programa de Rádio
  • Melhor Filme ou Minissérie
  • Melhor Programa de TV
  • Melhor Charge
  • Melhor Comentário Impresso ou de Rádio/TV
  • Melhor Comentário Online ou Blog
  • Melhor Dramaturgia
  • Melhor Jogo

Veja a seguir, em inglês, as informações sobre o prêmio. Mais detakhes também podem ser obtidos aqui.

The Population Institute's Global Media Awards are devoted to drawing attention to global population issues. The award honors those who have contributed to creating an awareness of population problems through their journalistic endeavors in a meritorious manner.

1. Entries must contain nominee's complete contact information : name, address, phone, and e-mail.

2. Entries must be accompanied by a brief description of the entry and a justification explaining why it should be considered for a Global Media Award.

3. English translations must accompany entries in other languages.

4. Applicants must submit three printed copies of their submissions.

Selection Criteria Entries will be evaluated on their potential to educate and inform policymakers or the general public about issues related to population growth. Please submit justification for award, the name of the media outlet and the date of its use, along with 3 copies of the project being considered. For more information contact Jennie Wetter: (202) 544-3300 ext. 108; e-mail jwetter@populationinstitute.org. Eligibility Dates and Deadline for SubmissionEligible works must have been published or aired between September 1, 2008 and August 31, 2009. Deadline for entries is September 4, 2009. Winners will receive award in Washington, D.C. with all expenses paid.

Para participar, os cadidatos devem enviar suas produções para:

Global Media Awards Program Population Institute

107 Second Street NE

Washington, DC 20002

Colômbia lança edital para comprar satélite

Do Teletime news, em 20/08/2009


O governo da Colômbia deve publicar na próxima semana o edital de licitação para a escolha da empresa que vai operar o satélite nacional daquele país. No edital estarão estabelecidas as condições para a empresa contratada. A mais importante, segundo apurou este noticiário, é que a empresa contratada tenha já uma posição orbital consignada, já que a ocupação da posição orbital andina está inviabilizada. A licitação já despertou a atenção de empresas como StarOne (da Embratel) e SES New Skies e deve ocorrer em outubro.
O projeto da Colômbia será apresentado pelas autoridades daquele país durante o 9º Congresso Latino-Americano de Satélite, organizado pela TELETIME, nos dias 1 e 2 de outubro, no Rio de Janeiro. Mais informações pelo site www.convergecom.com.br/eventos

Audiovisual: Inscrição para o Prix Jeunesse Iberoamericano vai até dia 31

Vão até o dia 31 de agosto as inscrições para a mostra competitiva do Prix Jeunesse Iberoamericano - Festival de Produções Audiovisuais Infanto-Juvenis. O evento acontecerá em São Paulo capital de 12 a 15 de outubro. Serão aceitas inscrições de programas dirigidos ao público infanto-juvenil produzidos e/ou coproduzidos por emissoras de TV e produtores independentes da Ibero-América e Península que tenham sido exibidos em TV aberta, por assinatura e/ou na web entre o 1º de Julho de 2006 e 31 de Julho de 2009. Os programas vencedores em cada categoria ganharão uma viagem a Munique, Alemanha, para o Prix Jeunesse Internacional 2010. Profissionais de mídia, cultura e educação podem inscrever-se e credenciar-se como votantes ou como observadores até 20 de setembro. Mais informações e inscrições aqui.

Brasil possui quase 65 milhões de internautas

País também bateu mais um recorde em tempo de navegação; no último mês de julho, internautas brasileiros passaram 71 horas e 30 minutos conectados na rede

Do M&M Online, em 20/08/2009

Considerando toda a população maior de 16 anos que acessa a internet de sua própria residência, do trabalho, de escolas ou de locais públicos, o Brasil já conta com um total de 64,8 milhões de internautas. Os dados, divulgados pelo Instituto Ibope Nielsen Online, referem-se ao uso da internet no último mês de julho e indicam novos recordes para o País.
No último mês, o Brasil contabilizou um total de 36,4 milhões de internautas ativos - ou seja, pessoas que se conectam à rede com freqüência em suas residências ou no trabalho. O número é 10% maior do que o total de internautas ativos registrados no último mês de junho. Além de serem cada vez mais numerosos, os internautas brasileiros continuam sendo aqueles que mais dedicam o seu tempo para navegar na rede. De acordo com a pesquisa do Ibope Nielsen, no último mês de julho cada internauta ativo passou, em média, 71 horas e 30 minutos conectados na web. Considerando apenas o tempo despendido para a navegação em sites, em portais e em diferentes páginas da internet - exceto redes sociais e comunicadores instantâneos - os brasileiros ficaram, em media, 48 horas e 21 minutos conectados na rede.
O novo recorde de tempo de navegação continua mantendo o Brasil na liderança de utilização mensal da internet entre as nações pesquisadas pelo Ibope Nielsen. No ranking do mês de julho, em segundo lugar ficaram os Estados Unidos (com uma média mensal de 67 horas e 33 minutos de navegação), seguidos do Reino Unido (com 59 horas e 56 minutos) e da França (com 58 horas e 19 minutos).
O Ibope Nielsen ainda apontou que cerca de 44,5 milhões de brasileiros possuem acesso à internet residencial ou em seu local de trabalho. Entre aqueles que se conectam à web de suas próprias casas, o índice também subiu. No último mês de junho, o País contava com 25,6 milhões de usuários residenciais na internet. Já em julho esse número subiu para 27,5 milhões, o que configura um aumento de 7,4%.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Antena: o calcanhar de aquiles da TV digital

Por Cristina De Luca, da Convergência Digital, em 17/08/09

Na sexta-feira, no início da noite, a TV Justiça levou ao ar, no programa Fórum, uma conversa franca sobre TV Digital com consultor jurídico do Ministério das Comunicações, Marcelo Bechara, e o professor de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília Ricardo Queiroz. Em determinado momento, o apresentador perguntou: "A TV Digital levará ao fim das antenas? As antenas vão continuar pelos próximos dez anos?"
Para minha grata surpresa, tanto Bechara quanto Ricardo Queiroz assumiram a existência do que têm sido dois dos maiores problemas da TV Digital hoje: o sinal, nem sempre potente o suficiente para permitir o uso de antenas internas como as instaladas em conversores mais modernos, que chegaram ao mercado nos últimos meses; e o desconhecimento da população da necessidade de uso de antenas UHF para uso adequado dos conversores.
"Não podemos negar um fato muito comum, que vem acontecendo no Brasil inteiro. O consumidor compra o conversor, leva para casa, instalada sem a antena e reclama que ele não funciona", comentou Bechara.
"A TV digital é televisão aberta. Precisa de antena. Acontece que algumas antenas mais antigas, que só pegam o VHF, não conseguem pegar o canal de TV Digital", explicou Bechara. "Muitas vezes, a antena UHF interna resolve o problema. Há localidades, até no interior de São Paulo, onde os conversores mais modernos, que já têm essas antenas embutidas, funcionam perfeitamente bem. Mas realmente, há locais onda há a necessidade do uso de antenas externas", disse o consultor.
"Aqui em Brasília os conversores internos não estão dando conta", completou o professor Queiroz. "É uma questão de potência do modulador, lá na estação transmissora. Quanto mais tecnologia para proteção do sinal a emissora usa, para evitar problemas de sincronismo, por exemplo, menos alcance o sinal tem. E há a necessidade de uso de antenas UFH externas", explicou. "Mas acredito que, com o tempo, e a evolução tecnológica, a antena interna dê conta e a gente deixe de ver um monte de antenas no teto das residências."
Tive duas conversas interessantes nas últimas semanas sobre o tema. A primeira, presencial, no Rio, com Márcio Nunes, professor de Comunicação Áudio-Visual e Tecnologia Aplicada à Comunicação do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio, membro do Instituto de Mídias Digitais da universidade, sobre o qual já falei aqui.
Márcio já foi um entusiasta da TV Digital. Hoje, como todo bom acadêmico (mas justamente por conta da veia de empresarial que pulsa alto na Solução Digital e, mais recentemente, na Bitix), acredita mais na Social TV e na IPTV como modelos tecnológicos e econômicos viáveis no longo prazo. E justifica a quase desilusão, lembrando dos muitos percalços da implantação da TV Digital, no Brasil e no mundo.
"Corremos o risco de cair no descrédito, com a população comprando o conversor, levando para casa e não conseguindo usar por conta do despreparo dos vendedores que não informam corretamente. Ninguém, na hora da compra, diz que você precisa de uma antena diferente daquela que tem em casa para usar o conversor", me disse.
Depois dessa primeira conversa, confesso que o assunto "antenas" começou a me chamar atenção. Não tinha me dado conta do tamanho do problema, até então. Me lembrei de ter sido apresentada virtualmente pelo Helio Rosa, mantenedor da comunidade Wireless Brasil, ao professor Carlos, que dá cursos para técnicos instaladores de antenas na Escola Schema Cursos Técnicos, ali na região da Santa Ifigênia, em São Paulo. Mandei uma série de perguntas para ele, que respondeu prontamente.
O professor Carlos concorda que a falta de informação tem prejudicado até o trabalho dos antenistas profissionais. Só os que participaram dos treinamentos promovidos inicialmente pelo Fórum SBTVD sabem que os canais com sinais digitais estariam em Banda UHF. E que, portanto, seria preciso uma antena UHF para receber esses sinais.
"De um modo geral a antena interna nunca terá uma boa recepção para todos os canais", explicou. "Também devemos tomar cuidado com as tais antenas "especiais para TV Digital" que alguns espertalhões estão vendendo. As antenas que devemos usar são as comuns, para UHF. De preferências, as chamadas de antenas banda IV, banda V ou toda banda. Essa ultima usada para locais perto das transmissoras".
Segundo ele, antenas UHF BANDA IV são adequadas para recepção dos canais de 14 a 32. As BANDA V, para os canais 33 a 69. E TODA BANDA, para os canais de 14 a 69.
Caso sua cidade já esteja coberta por sinais digitais, procure verificar em que canal a emissora ou as emissoras estão transmitindo. Depois adquira a antena mais indicada.

Ah! Mais dois detalhes importantes:
1 - lembre-se que o cabo da antena é o condutor desse sinal. Portanto deixe-o passar livremente. Adquira cabos de boa qualidade (RGC59, RGC6, etc);
2 - quando o sinal no local não é suficiente, a TV Digital mostra uma tela azul como a das TVs a cabo, sem nenhuma imagem. Nem mesmo chuviscos.

Convênio facilitará parcerias de cooperação entre EBC e mídias estrangeiras

Por Pedro Peduzzi , da Agencia Brasil, em 17/08/2009

A presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Tereza Cruvinel, assinou convênio com a Agência Brasileira de Cooperação, vinculada ao Ministério das Relações Exteriores, visando a aperfeiçoar e formalizar parcerias para implementação de projetos de cooperação técnica e tecnológica na área de comunicação com países em desenvolvimento.
"Esse acordo tornará mais efetiva a relação com a mídia pública de outros países, principalmente da África e com Portugal", disse a presidente da EBC.
Segundo ela, com o convênio, será possível evitar a continuidade de algumas dificuldades operacionais que existem na EBC desde os tempos de Radiobrás. "Em nosso enquadramento não existem, por exemplo, previsão de diárias para estrangeiros. E isso acabava dificultando a implementação de acordos prevendo troca de conteúdos e coproduções", completou.
Para o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Samuel Pinheiro Guimarães, o acordo será de grande valia para divulgar não só a realidade do Brasil, mas também a de outros países. "Certamente favorecerá nossa relação, tanto com os países vizinhos quanto com os países africanos. Até porque se buscará dar um tratamento diferenciado da forma estereotipada como esses países costumam ser apresentados por outras emissoras", disse o secretário. "Ainda existe uma certa ignorância sobre o potencial dessas áreas", acrescentou Tereza.
Guimarães ressaltou que o acordo será de grande valia para o governo, ajudando-o sobretudo no esforço para enfrentar desafios internacionais ligados a acordos multilaterais, ao direito internacional, ao Fundo Monetário Internacional e às negociações comerciais.
"Na política externa, tem o que acontece e o que é divulgado. Em geral, a mídia não mostra tudo e acaba prevalecendo a versão, ao invés do fato. Abre-se, com esse convênio, a possibilidade de estabelecermos propostas de cooperação muito positivas com esses países. Existem 52 estados africanos. Isso representa 52 votos em conselhos internacionais, que podem ser decisivos inclusive para ajudar a política econômica brasileira", argumentou o secretário, que ressaltou ainda a possibilidade de o Brasil ajudar outros países a terem sistemas de comunicação mais eficientes.
De acordo com Tereza Cruvinel, o principal interesse dos países vizinhos e dos africanos é a capacitação do jornalismo e das TVs, por meio de treinamentos e tecnologias. Ela informou que estão sendo organizadas iniciativas como a realização de um seminário de mídias públicas da América Latina, previsto para novembro. Mas o alcance pode ir ainda mais além: "Há a possibilidade de colaborarmos para o fortalecimento da língua portuguesa no Timor Leste."

Nova África

A diretora de Jornalismo da EBC, Helena Chagas, aproveitou a oportunidade para anunciar que a TV Brasil estreará, no dia 25 de setembro, o programa Nova África. "Os dois primeiros programas serão sobre Moçambique, por onde passaram as grandes navegações. Na sequência, Namíbia e Botsuana. O espírito dessa série será o de mostrar a África para os brasileiros", disse Helena.

MinC apoiará a produção de 20 curtas-metragens

O Ministério da Cultura, no âmbito do Programa Mais Cultura, por meio das Secretarias do Audiovisual (SAv/MinC) e de Articulação Institucional (SAI/MinC), lança neste sábado, 22 de agosto, às 17h30, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, o Programa Nós na Tela, direcionado para produção de filmes voltados para jovens.
O edital - que será divulgado até o início de setembro - apoiará a produção de 20 curtas-metragens em vídeo digital sobre o tema Cultura e Transformação Social. O concurso será destinado exclusivamente para jovens entre 17 e 29 anos, das classes C, D ou E, integrantes ou egressos de projetos sociais que desenvolvam atividades de formação para realizar produção audiovisual. O resultado será exibido nas televisões públicas brasileiras em 2010.

Mais Cultura

Nós na Tela é mais uma ação do Programa Mais Cultura voltada para a produção de conteúdos para as TVs públicas e comunitárias com foco na juventude, especialmente de baixa renda. O objetivo é desenvolver conteúdos educativos, culturais e teledramaturgia seriada que retratem, problematizem e apontem perspectivas para o público juvenil.
Além de conteúdos destinados aos jovens, o Mais Cultura busca incorporar a juventude das classes C, D e E no processo de produção e fruição audiovisual, em uma perspectiva de exercício pleno de sua cidadania. O jovem não somente como expectador, mas como produtor cultural a partir do seu olhar e de sua realidade, estimulando a auto-representação audiovisual da juventude das classes C, D e E.
Outro objetivo é criar um circuito nacional de difusão de obras audiovisuais produzidas por jovens das classes C, D e E, envolvendo canais comunitários, TVs públicas, Cines Mais Cultura, Pontos de Cultura e outros espaços.
Mais informações no site mais.cultura.gov.br.

I MUSICOM recebe trabalhos até 15 de setembro

Estão abertas até 15 de setembro as inscrições para o I Encontro de Pesquisadores em Comunicação e Música Popular – MUSICOM, que acontece no período de 21 a 23 de outubro de 2009, no Campus da Universidade Federal do Maranhão, em São Luis.
Com o tema: “Tendências e convergências da música na cultura midiática”, o evento vai reunir pesquisadores de diversas partes do país para discussões do crescente campo de pesquisa em mídia e música. Alunos de grupos de pesquisa tanto em nível de graduação como de pós-graduação, terão possibilidade de interagir com pesquisadores renomados que têm produção constante, como o Prof. Dr. Jeder Janotti Jr (UFBA) e Prof. Dr. Felipe da Costa Trotta (UFPE), que são alguns dos palestrantes do evento.
Além das palestras, o evento conta com apresentação de trabalhos que devem ser inscritos para as sessões temáticas, que serão distribuídas de acordo com a abordagem dos papers. As normas de submissão, bem como informações sobre as inscrições, estarão disponíveis a partir desta terça-feira no endereço do evento na Internet: www.musicom.ufma.br.

NOVIDADE:
Paralelamente ao I MUSICOM, será realizada também a II Mostra de Mídia e Música, que em 2008 aconteceu, em primeira edição, sob responsabilidade do PPGCOM/UFPE. Na UFMA, o evento deve acontecer dias 22 e 23 de outubro, paralelo à programação do I MUSICOM, composto por mesas e exposição de produtos previamente organizados.
A II Mostra de Mídia e Música servirá para um maior diálogo entre a academia e mercado, e, que serão realizados debates com músico, militantes e produtores culturais, que vão expor nas falas análises e situações acerca da conjuntura musical contemporânea.
Forma de participação: para participar da II Mostra de Mídia e Música enquanto ouvinte, basta indicar interesse, ao inscrever-se no I Musicom. Já quem deseja inscrever produtos sonoros (música experimental, vinhetas, rearranjos, peças de sonoplastia, etc.), além dos procedimentos da II Mostra, deve enviar resumo de até 30 linhas, sob as mesmas normas contidas no site a fim de que o teor e tipologia do produto sejam conhecidos, bem como anexar arquivo por e-mail.

Eventos:
I Encontro de Pesquisadores em Comunicação e Música Popular – MUSICOM
II Mostra de Mídia e Música
Inscrições até 15 de setembro, pelo site: www.musicom.ufma.br
Contatos: musicom.ufma@gmail.com

TV Móvel: Usuários de TV analógica no celular serão 300 milhões em 2013

Da Tela Viva news

No fim deste ano haverá 54 milhões de usuários de TV analógica em celulares. Em 2013, essa base de clientes alcançará 300 milhões no mundo inteiro. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pela In-Stat sob encomenda da fabricante Telegent, que fabrica chips que servem a esse tipo de serviço. O estudo entrevistou consumidores em quatro países emergentes: Brasil, Colômbia, Turquia e Indonésia. Mais da metade dos entrevistados que têm celular com TV analógica informaram que usam o serviço pelo menos três vezes por semana e 20% disseram que usam diariamente.
Outro dado interessante: dois terços dos usuários entrevistados assistem à TV analógica no celular por pelo menos 30 minutos quando acessam o serviço, o que desmistifica a idéia de que se trata de algo usado por períodos curtos de menos de 10 minutos. Na opinião da In-Stat, o serviço de TV analógica no celular deve se popularizar especialmente em países onde ainda não há TV digital ou onde o custo do equipamento é caro para o nível de renda da população.Essa é uma das primeiras pesquisas mundiais sobre TV analógica no celular.
A maioria dos fabricantes tradicionais de terminais simplesmente ignorou essa funcionalidade, priorizando padrões de TV móvel digital, como o europeu DVB-H ou o 1Seg, "porção móvel" do padrão japonês ISDB-T (utilizado no Brasil). Seguindo o caminho contrário, a Telegent apostou nesse mercado e criou chips para recepção de TV analógica em celulares. Recentemente, a distribuidora EUTV anunciou a importação para o Brasil de um celular com TV analógica. E vale lembrar que existe também no País a venda de terminais móveis com essa funcionalidade contrabandeados da China: apelidados de MP8 ou MP9, eles são vendidos a preços baixos em lojas pequenas nos centros das principais capitais do país